Maringá terá Hospital de referência para atender crianças

Foto: Jonas Oliveira/Vicegovernadoria

Da Redação
Agência de Notícias do Paraná

A vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, confirmou nesta sexta-feira (22), em Maringá, a construção de um hospital pediátrico para atender as regiões Norte e Noroeste do Estado. A instituição vai prestar atendimentos em oncopediatria e outras 20 especialidades, beneficiando cerca de 3 milhões de pessoas. A obra é uma parceria do Governo do Estado, Prefeitura de Maringá, União e Organização Mundial da Família (OMF).

“O Governo do Paraná não mediu esforços para concretizar este projeto. Somos o Estado que mais investe em saúde pública no Brasil. Teremos um hospital de referência nacional para cuidar, tratar e salvar a vida das nossas crianças, dando conforto a elas e suas famílias”, disse Cida.

Vice-governadora Cida Borghetti. Foto Jonas Oliveira/Vicegovernadoria

Vice-governadora Cida Borghetti. Foto Jonas Oliveira/Vicegovernadoria

A vice-governadora explicou que o projeto é semelhante ao do Hospital da Criança de Brasília, uma das referências nacionais no atendimento pediátrico. “Vamos buscar os bons exemplos para assegurar o melhor tratamento às crianças”.

160 leitos

A unidade será construída em um terreno de 86 mil metros quadrados que foi cedido pela União ao município no início da semana. O contrato foi assinado no Palácio Iguaçu, em Curitiba, pelo prefeito de Maringá, Ulisses Maia, e o superintendente do Patrimônio da União no Paraná, Jorge Luiz Moreira da Silva.

Com 23 mil metros quadrados de área construída, o Hospital da Criança de Maringá terá 160 leitos e oferecerá 21 especialidades, entre elas oncologia, ortopedia, cardiologia, gastroenterologia e endocrinologia. O hospital também contará com um centro de pesquisas em doenças raras.

“O novo hospital vai evitar o encaminhamento das crianças para Curitiba, acabando com as viagens longas e a separação das famílias durante o tratamento”, afirmou o prefeito Ulisses Maia.

A construção da unidade conta também com o apoio do Hospital Pequeno Príncipe, referência nacional em saúde infantil, que dá suporte e consultoria técnica ao projeto – e também poderá participar da concorrência para auxiliar na gestão da unidade.

Foto: Jonas Oliveira/Vicegovernadoria

Foto: Jonas Oliveira/Vicegovernadoria

Investimentos

A Organização Mundial da Família (OMF) já tem reservados R$ 33 milhões para iniciar a obra. Em contrapartida o Governo do Paraná investirá outros R$ 30 milhões nessa primeira parte do projeto.

O prazo máximo para a construção do hospital é de dois anos, mas a utilização de estruturas pré-moldadas deve antecipar a conclusão da obra.

“Nós últimos sete anos temos investido com grande prioridade na área da saúde para estruturar as redes de atenção e qualificar todos os pontos de assistência do nosso Estado. Vamos terminar este ano com quase R$ 19 bilhões investidos na saúde”, destacou o diretor-geral da Secretaria de Estado da Saúde, Sezifredo Paz.

De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, R$ 40 milhões do orçamento do ministério serão empenhados e depositados ainda este ano. “O ministério fará a maior parte do custeio com a participação do Governo do Estado e da Prefeitura. Nosso objetivo é que uma entidade filantrópica assuma a gestão do hospital e também arrecade recursos para a concessão de serviços”, explicou.