Farmácia de Alto Custo de Goiás amplia em serviços para a população

Foto: Divulgação

22Da Assessoria

Única unidade pública de Saúde em Goiás responsável por executar a distribuição de medicamentos para tratamento de doenças raras e crônicas como Alzheimer, Parkinson, enfermidades renais crônicas, dentre outras, a Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa (Cemac) teve um ano de avanços no atendimento e inovações nos serviços. Até setembro, cerca de 310 mil pacientes haviam sido atendidos na dispensação de medicamentos, com recursos, tanto do Governo Federal quanto do Estadual, da ordem de R$ 133.4 milhões.

Na Cemac, são dispensados 115 medicamentos em 179 apresentações farmacêuticas para o tratamento de 84 doenças que fazem parte do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF). Os medicamentos listados no CEAF são dispensados após critérios de diagnóstico, indicação e tratamento, esquemas terapêuticos e demais parâmetros contidos nos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde.

A dispensação em Goiás ocorre, em sua maioria, na cidade de Goiânia, na Rua 16, nº 97, no Setor Central. Contato: (62) 3201-7439.​ Porém, com a implantação de um projeto de descentralização, a Regional de Saúde Pireneus, em Anápolis, também executa as etapas do CEAF, na sede da Regional de Saúde.

Consulta de processos pela internet

Em 2017, a Central disponibilizou um novo sistema para o usuário acompanhar o andamento de processo de solicitação de medicamentos pela internet. O objetivo é facilitar o acesso às informações, evitando, assim, o deslocamento de pacientes até a unidade. O serviço está disponível no site da SES-GO: www.saude.go.gov.br

Projeto Medclínica

O Projeto Medclínica tem por objetivo proporcionar maior comodidade aos doentes renais que recebem os medicamentos no local em que fazem hemodiálise, com a garantia de um armazenamento adequado, até o momento da utilização pelo paciente, em quantidade suficiente para um mês de tratamento. Essa providência diminuiu o desperdício de medicamentos e melhorou o controle da doença, como explica o diretor técnico da Cemac, Roney Pereira Pinto. “Muitos só vinham buscar o medicamento quando ele já tinha terminado. Isso provocava uma interrupção, que prejudicava o paciente. Esse problema foi praticamente eliminado”, comemora.

Atualmente, o Projeto Medclínica contempla 1.332 pacientes e conta com 11 clínicas participantes: 4 Health, Clínica de Doenças Renais, Centrel, Hospital das Clínicas, Hospital Urológico Puigvert, Milli, Nefroclínica, Nefron, Renal Clínica, Hospital Santa Casa de Misericórdia de Goiânia e TRS.

Em 2017, o projeto foi citado pela Federação Nacional dos Pacientes Renais Crônicos do Brasil (Fenapar), que elogiou a boa gestão do Estado de Goiás em relação à distribuição de medicamentos para pacientes renais e aos de rim transplantado.

Fonte: Comunicação SES-GO/ Goiás Agora